Leituras Do Mês: Abril/18

Faça a sua compra clicando nas capas dos livros e ajude nosso site.

 

 

 

 

Carlos e Márcio são dois amigos de longa data. Um dia, um acontecimento leva Carlos a descobrir que o seu melhor amigo, Márcio, é gay. Ele se vê paralisado diante dessa revelação. E, agora?Em meio a essa surpresa, Carlos se torna testemunha de um crime covarde, e decide criar um blog para narrar as angustias que o sufocam. Nesse processo, ele se depara com a violência motivada pelo preconceito que traz como vítimas vários segmentos considerados minorias pela sociedade.Ao Ler ‘o meu melhor amigo é gay’, nos deparamos com aventuras, perigos, brigas, reencontros e uma boa pitada policial que fazem do livro uma narrativa realista, fácil de ser lida, compreendida e vivenciada pelo leitor como sendo parte integrante da história, independente da sua orientação sexual, religiosa, cultural ou ideológica.

 

 

 

Pobre Noah Grimes! Seu pai desapareceu há anos, o tributo de homenagem à Beyoncé de sua mãe é um embaraço inaceitável e sua amada avó já não é ela mesma. Ele só tem um amigo, o Harry, e a escola é… bem, é um Inferno. Por que Noah não pode ser normal, como todos os outros na escola? Talvez, se ele conseguisse namorar com alguém – a perfeita e encantadora Sophie -, ele seria um garoto mais “aceitável”? Mas os planos de Noah desmoronam quando Harry o beija em uma festa. É aí que as coisas vão de ruim a um absoluto caos. Se você acha que sua vida é difícil, definitivamente você deveria conhecer o dia a dia do Noah, mas não esqueça de cerca-se de amuletos para espantar a má sorte. “De mal a pior é maravilhosamente divertido, com um personagem brilhante e inesquecível.” My book corner “Um maravilhoso livro para adolescentes. Cheio de esquisitices, diversão e romance. Este livro, com certeza, irá fazê-lo sorrir.” – Waterstones “Definitivamente, este é um livro que eu recomendo, especialmente se você está procurando por um LGBT+.” – Bookends And Endings

 

 

 

“Natasha Zelenka é apaixonada por filmes antigos, livros clássicos e pelo escritor russo Liev Tolstói. Tanto que Famílias Infelizes, a websérie que a garota produz no YouTube com Jack, sua melhor amiga, é uma adaptação moderna de Anna Kariênina. Quando o canal viraliza da noite para o dia, a súbita fama rende milhares de seguidores — e, para surpresa de todos, uma indicação à Tuba Dourada, o Oscar das webséries. Esse evento é a grande chance de Tash conhecer pessoalmente Thom, um youtuber de quem sempre foi a fim. Agora, só falta criar coragem para contar a ele que é uma assexual romântica — ou seja, ela se interessa romanticamente por garotos, mas não sente atração sexual por eles. O que Tash mais gostaria de saber é: o que Tolstói faria? ”

 

 

Alguns segredos só conseguimos contar aos nossos maiores ídolos.

Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.

Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Eduardo Carvalho Escrito por:

Uma batata que fala.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *